229 999 600.
CENTRO SOCIAL PAROQUIAL
PARÓQUIA

O Bispo D. Rodrigo Pinheiro, entre 1552-1572, estabeleceu nas margens do Rio Leça a mais famosa estância de repouso e meditação dos prelados portuenses, a Quinta de Santa Cruz de Riba Leça, assim se chamava.

O edifício principal da vivenda prelatícia foi delineada pelo próprio Bispo na idade de 70 anos. Durante um decénio, ergueu-se o conjunto arquitectónico e paisagístico da mansão episcopal: trabalhos de granito, ermidas, fontes de pedraria, luxuriosa vegetação, etc.. A dedicação e zelo pela Quinta foi, para o seu fundador, ocasião para acerbas críticas, preferindo alguns que, no local, se construísse um Seminário. A um amigo fez o Bispo a seguinte confidência: “Não tenho ânimo de a (Quinta) edificar para mim ou para os meus senão para os Bispos meus sucessores, pelos quais temo este trabalho.”

A Quinta era de tal grandeza e imponência, enquadrados os sumptuosos edifícios e admiráveis trabalhos em granito na mais exuberante e luxuriosa vegetação e recheado de fontanários de águas filosofantes, recolhidas ermidas e recantos artisticamente dispostos e floridos, que foi comparada com as mais belas propriedades de Espanha, Toscana ou Roma. 

TRANSFORMAÇÃO DA QUINTA EM PATRIMÓNIO MUNICIPAL : POSTO AGRÁRIO E COLÓNIA PENAL
Em 1910, com o advento da República, o património da Quinta de Santa Cruz do Bispo passou definitivamente da Igreja para o Estado. Em 1913 foi cedida pelo Ministério da Justiça ao do Fomento para nela se instalar o Posto Agrário do Minho Litoral, dada a ampla superfície de terras aráveis, lameiros e arvoredos. O eng. agrónomo Augusto Leite Pereira Brittes Jardim foi, em 1916, o primeiro responsável por todos os serviços do Posto. Além da função específica, apareceu, de novo, um homem providencial que procurou reconstruir a Quinta de Santa Cruz do Bispo de modo a manter-se, quanto possível, o aspecto primitivo. Reparou por completo o arruado da entrada (Rua do Anjo), reconstruiu o jardim anexo à moradia, obedecendo a graciosas formas geométricas (esse maravilhoso jardim foi posteriormente destruído). Procedeu à reparação da parte principal das ruínas da velha casa senhorial anti-portuguesa, sobrepujada pela arma dos Pinheiros (Palácio D. Mafalda), à reconstituição de fontes, cascatas, pórticos de granito, tanques entre os quais o “tanque da serpente”, consertou as escadarias como seja o efectuado no escadório rústico que liga aquele tanque com a majestosa cascata do “focinho de porco”, ensombrada por gigantescos castanheiros. Essa pitoresca queda de água foi posteriormente ornamentada com a construção de um lago, jardim e novos caminhos e estradas. Tudo isso permanece hoje em dia.

Há anos o organizador do Museu Grão-Vasco de Viseu, Francisco de Almeida Moreira, conseguiu licença para retirar e levar retábulos, crucifixos, azulejos, assim como a valiosa colecção de tábuas setecentistas que pertenceram à Quinta de Santa Cruz do Bispo. Esse património artístico foi levado a título devolutivo. Existe, com efeito, documentos desse depósito no Cofre da Câmara de Matosinhos, podendo esta exigir a sua devolução.

Em 1939 transitou a Quinta, de novo, para o Ministério da Justiça, instalando-se aí a Colónia Penal. Realizaram-se as obras para adaptação a tal finalidade. Construiu-se o Pavilhão Prisional e outras dependências. Pelas adaptações realizadas, foram, infelizmente, alteradas as linhas arquitectónicas do Palácio D. Mafalda, tendo desaparecido a pedra de armas quinhentista, que recordava pelos séculos fora a figura do seu insigne fundador.

PORTÃO NASONI

De todos os portões o da entrada, que mede 12,75 metros de comprimento, é uma obra arquitectónica de particular interesse. É uma versão maior dos portões com janelas laterais do Viso e Bonjóia, e apresenta dois elementos importantes na forma do arco central e na cultura do rico remate. É, com certeza, uma obra de Nicolau Nasoni. Para este arco Nasoni escolheu um perfil trilobado, repetindo, assim uma das características da arquitectura manuelina que sobreviveu na talha do fim do século XVII e começo do século XVIII. Este arco, segundo os críticos da arte, representa mais um indício e argumento sobre a influência da arte portuguesa do passado na arquitectura Nasoni. Da sua triple forma nasce o ritmo de toda a parte superior da grande portada, delimitada por uma moldura horizontal. No meio do arco levanta-se a faustosa pedra de armas do Bispo D. José Maria Fonseca e Évora, de forma caprichosa, rodeada de cordas.

Este site utiliza a Política de Cookies para garantir uma melhor experiência no nosso site. View more
Cookies settings
Aceitar
Privacidade & Política de Cookie
Privacy & Cookies policy
Cookie name Active

Quem somos

Texto sugerido: O endereço do nosso site é: https://centrobispo.pt.

Comentários

Texto sugerido: Quando os visitantes deixam comentários no site, são guardados os dados presentes no formulário dos comentários, bem como o endereço de IP e o agente do utilizador do navegador, para ajudar com a detecção de spam. Uma string anónima criada a partir do seu endereço de email (também designada por hash) pode ser enviada para o serviço Gravatar para verificar se o está a utilizar. A política de privacidade do serviço Gravatar está disponível aqui: https://automattic.com/privacy/. Depois do seu comentário ser aprovado, a fotografia do ser perfil fica visível para o público no contexto do seu comentário.

Multimédia

Texto sugerido: Ao carregar imagens para o site, deve evitar carregar imagens com dados incorporados de geolocalização (EXIF GPS). Os visitantes podem descarregar e extrair os dados de geolocalização das imagens do site.

Cookies

Texto sugerido: Se deixar um comentário no nosso site pode optar por guardar o seu nome, endereço de email e site nos cookies. Isto é para sua conveniência para não ter de preencher novamente os seus dados quando deixar outro comentário. Estes cookies durarão um ano. Se visitar a página de início de sessão, será configurado um cookie temporário para determinar se o seu navegador aceita cookies. Este cookie não contém dados pessoais e será eliminado ao fechar o seu navegador. Ao iniciar a sessão, serão configurados alguns cookies para guardar a sua informação de sessão e as suas escolhas de visualização de ecrã. Os cookies de início de sessão duram um ano. Se seleccionar "Lembrar-me", a sua sessão irá persistir durante duas semanas. Ao terminar a sessão, os cookies de inicio de sessão serão removidos. Se editar ou publicar um artigo, será guardado no seu navegador um cookie adicional. Este cookie não inclui dados pessoais apenas indica o ID de conteúdo do artigo que acabou de editar. Expira ao fim de 1 dia.

Conteúdo incorporado de outros sites

Texto sugerido: Os artigos neste site podem incluir conteúdo incorporado (por exemplo: vídeos, imagens, artigos, etc.). O conteúdo incorporado de outros sites comporta-se tal como se o utilizador visitasse esses sites. Este site pode recolher dados sobre si, usar cookies, incorporar rastreio feito por terceiros, monitorizar as suas interacções com o mesmo, incluindo registar as interacções com conteúdo incorporado se tiver uma conta e estiver com sessão iniciada nesse site.

Com quem são partilhados os seus dados

Texto sugerido: Se solicitar uma redefinição de senha, o seu endereço de IP será incluído no email de redefinição.

Por quanto tempo são retidos os seus dados

Texto sugerido: Se deixar um comentário, o comentário e os seus metadados são guardados indefinidamente. Isto acontece de modo a ser possível reconhecer e aprovar automaticamente quaisquer comentários seguintes, em vez de os colocar numa fila de moderação. Para utilizadores que se registem no nosso site (se algum), guardamos a informação pessoal fornecida no seu perfil de utilizador. Todos os utilizadores podem ver, editar, ou eliminar a sua informação pessoal a qualquer momento (com a excepção de não poderem alterar o nome de utilizador). Os administradores do site podem também ver e editar essa informação.

Que direitos tem sobre os seus dados

Texto sugerido: Se tiver uma conta neste site, ou deixou comentários, pode pedir para receber um ficheiro de exportação com os dados pessoais guardados sobre si, incluindo qualquer dado pessoal que indicou. Também pode solicitar que os dados guardados sejam eliminados. Isto não inclui qualquer dado pessoal que seja obrigatório manter para fins administrativos, legais ou de segurança.

Para onde os seus dados são enviados

Texto sugerido: Os comentários dos visitantes podem ser verificados através de um serviço automático de detecção de spam.
Save settings