DOMINGO XXIII DO TEMPO COMUM

ANO A

Ouve-se dizer, cada vez mais, que a Fé é um assunto estritamente pessoal e privado que cada um deve resolver no íntimo da sua consciência. Daí que não espante muito a atitude dos que, dizendo-se cristãos, pensam que o podem ser sem qualquer ligação ou compromisso com uma Comunidade cristã…
Mas como se pode ser membro de uma Família, rejeitando os laços, os contactos e as responsabilidades inerentes a essa pertença?
A Palavra de Deus lembra-nos hoje que a Fé vive-se, alimenta-se, celebra-se, testemunha-se e comunica-se no contacto fraternal e partilhante com os outros membros da Comunidade, por mais pequenina que seja: dois ou três reunidos em seu Nome… é já suficiente, como nos garante Jesus.

 

I LEITURA 
Leitura da Profecia de Ezequiel 33,7-9
Eis o que diz o Senhor:
“Filho do homem, coloquei-te como sentinela na casa de Israel. Quando ouvires a palavra da minha boca, deves avisá-los da minha parte. Sempre que Eu disser ao ímpio: “Ímpio, hás-de morrer.”, e tu não falares ao ímpio para o afastar do seu caminho, o ímpio morrerá por causa da sua iniquidade, mas Eu pedir-te-ei contas da sua morte. Se tu, porém, avisares o ímpio, para que se converta do seu caminho, e ele não se converter, morrerá nos seus pecados, mas tu salvarás a tua vida.”
Palavra do Senhor


SALMO 94

SE HOJE OUVIRDES A VOZ DO SENHOR, NÃO FECHEIS OS VOSSOS CORAÇÕES.

Vinde, exultemos de alegria no Senhor, 
aclamemos a Deus, nosso Salvador.
Vamos à sua presença e dêmos graças, 
ao som de cânticos aclamemos o Senhor.

Vinde, prostremo-nos em terra, a
adoremos o Senhor que nos criou.
Pois Ele é o nosso Deus 
e nós seu povo, as ovelhas do seu rebanho.

Quem dera ouvísseis hoje a sua voz: 
“Não endureçais vossos corações, 
como em Meriba, no dia da Massa no deserto, 
onde vossos pais Me tentaram e provocaram, 
apesar de terem visto as minhas obras.”

 

II LEITURA
Leitura da Epístola do Apóstolo São Paulo aos Romanos 14,7-9
Irmãos: nenhum de nós vive para si mesmo e nenhum de nós morre para si mesmo. Se vivemos, vivemos para o Senhor, e se morremos, morremos para o Senhor. Portanto, quer vivamos quer morramos, pertencemos ao Senhor. Na verdade, Cristo morreu e ressuscitou para ser o Senhor dos vivos e dos mortos.
Palavra do Senhor

 

EVANGELHO
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus 18,21-35
Naquele tempo, Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou-Lhe:
“Se meu irmão me ofender, quantas vezes deverei perdoar-lhe? Até sete vezes?”
Jesus respondeu:
“Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. Na verdade, o reino de Deus pode comparar-se a um rei que quis ajustar contas com os seus servos. Logo de começo apresentaram-lhe um homem que devia dez mil talentos. Não tendo com que pagar, o senhor mandou que fosse vendido, com a mulher, os filhos e tudo quanto possuía, para assim pagar a dívida. Então o servo prostrou-se a seus pés, dizendo:
‘Senhor, concede-me um prazo e tudo te pagarei.’
Cheio de compaixão, o senhor daquele servo deu-lhe a liberdade e perdoou-lhe a dívida. Ao sair, o servo encontrou um dos seus compa-nheiros que lhe devia cem denários. Segurando-o, começou a apertar-lhe o pescoço, dizendo: ‘Paga o que me deves.’
Então o companheiro caiu a seus pés e suplicou-lhe, dizendo:
‘Concede-me um prazo e pagar-te-ei.’
Ele, porém, não consentiu e mandou-o prender, até que pagasse tudo quanto devia. Testemunhas desta cena, os seus companheiros ficaram muito tristes e foram contar ao senhor tudo o que havia sucedido. Então, o senhor mandou-o chamar e disse:
‘Servo mau, perdoei-te porque me pediste. Não devias, também tu, compadecer-te do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?’
E o senhor, indignado, entregou-o aos verdugos, até que pagasse tudo o que lhe devia. Assim procederá convosco meu Pai celeste, se cada um de vós não perdoar a seu irmão de todo o coração.”
Palavra da Salvação